Transferências movimentaram R$ 31 bilhões em 2019

A FIFA divulgou recentemente o seu relatório anual sobre o Mercado Global de Transferências, estudo que a entidade máxima do futebol mundial faz anualmente levando em conta os dados de 211 associações nacionais e mais de 7 mil clubes profissionais, mostrando que o ano de 2019 foi o que mais movimentou dinheiro em transferências de atletas em todas as partes do mundo, com o montante total passando dos US$ 7,35 bilhões, que se convertidos para o Real em cotação atual dão a incrível cifra de R$ 31 bilhões em transferências durante todo o ano.

Este valor de US$7,35 bilhões corresponde a um aumento de 5,8% com relação aos números apresentados pelo mesmo estudo da FIFA no ano de 2018 e mostram que no total em 2019 foram realizadas mais de 18 mil transações que envolveram quase 16 mil jogadores de 178 nacionalidades diferentes.

E se este número mostra que o mercado do futebol está cada vez mais aquecido, mostra também um curioso detalhe que não pode passar despercebido: o dinheiro está cada vez mais concentrado em uma elite de poucos clubes. Dos quase R$ 31 bilhões gastos simplesmente 80% vieram de apenas 100 clubes em um universo que engloba mais de 7 mil clubes ao redor do mundo.

O estudo apresentado pela FIFA também mostrou algumas curiosidades sobre as transferências em 2019. Não por acaso, os meses em que os jogadores mais mudaram de clubes foram respectivamente Julho, Agosto e Janeiro, quando a janela de transferências internacional está aberta em todas as partes do mundo.

Os clubes também estão investindo em jogadores cada vez mais jovens, e a faixa etária que teve mais atletas se transferindo foi entre 18 e 23 anos, superando os antigos líderes que eram os jogadores entre 24 e 29 anos que agora aparecem na segunda colocação.

O relatório da FIFA também traz números animadores sobre o futebol feminino, onde houve um aumento de quase 20% nas transferências e de quase 17% em todos os valores pagos. Uma grande curiosidade do futebol feminino é que cerca de 20% de todas as atletas que se transferiram durante o período eram norte-americanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *