STJD promete punir casos de homofobia no futebol

O estádio de futebol deverá passar a ser um local mais acolhedor para todos, evitando casos de homofobia contra torcedores e atletas das equipes rivais. É esta uma recomendação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o STJD, que a partir de agora recomenda que casos de homofobia e transfobia em estádios sejam relatados pelos árbitros da partida nas súmulas.

Com isso, o STJD poderá a partir de agora começar a punir os clubes infratores com multa ou até mesmo a perda de pontos, como já havia sido anunciado pelo seu presidente Paulo César Salomão Filho ainda no mês de junho:

– “O tribunal está atento a essa questão. Em um primeiro momento, vamos exercer um papel pedagógico. O objetivo nunca foi e nunca será punir ninguém. E, sim, melhorar o espetáculo. O campo de futebol não é uma terra sem lei. Pelo contrário, é um lugar que tem de ser lúdico para que as pessoas possam se divertir e possam levar as suas famílias sem violência e atos discriminatórios e homofóbicos”.

Esta é uma medida que atente a uma recente criminalização da homofobia no país e também às diretrizes da FIFA, que inclusive já puniu por diversas vezes a CBF com multas por gritos de “Bicha” durante a cobrança de tiros de meta dos goleiros adversários durante os jogos da Seleção Brasileira.

Somente durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia a Confederação Brasileira de Futebol teve que desembolsar 123 mil francos suíços, o que em Reais daria algo em torno de R$ 450 mil, por punições durante cinco jogos da Seleção Brasileira como mandante em diversos estádios do futebol nacional.

Na estreia da Seleção Brasileira contra a Bolívia na Copa América deste ano, em jogo realizado no Morumbi em São Paulo, os gritos se repetiram e não será surpresa se a CBF for multada novamente pela FIFA.

Além de recomendar a paralisação imediata dos jogos em casos de homofobia vindos das arquibancadas, o STJD também recomenda que os clubes e também as federações realizem campanhas de conscientização do tema, tanto com atletas quanto com seus torcedores para que possam evitar punições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *