Situação do gramado é justificativa de corintianos para partida abaixo do esperado

Na abertura das quartas de final do Campeonato Paulista, Corinthians e Botafogo-SP protagonizaram uma verdadeira “pelada”. A equipe da capital paulista, principalmente, foi muito criticado por apresentar um futebol de tão baixo nível técnico. Depois da partida, Fagner, que é capitão da equipe, e o técnico Fábio Carille tentaram explicar o que ocorreu. O jogo terminou em 0 a 0.

Para o lateral direito do clube e da Seleção Brasileira, o jogo poderia ter sido melhor, se qualidade do gramado do Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, fosse melhor. Em entrevista ao Premier Futebol Clube, o jogador que tais condições não permitiram com que a equipe mostrasse seu verdadeiro futebol. ” Foi um jogo que a gente tem qualidade para colocar a bola no chão e não conseguiu pelo gramado. A bola bate e volta, fica com correria, com chutão. Um jogo sem qualidade nenhuma. Tenho certeza que no nosso estágio a grama vai deixar o jogo ser melhor.”, disse. O atleta apontou ainda a marcação da equipe adversária como um dos empecilhos para que o Corinthians conseguisse resultado positivo.

O técnico Fábio Carille disse que o Botafogo-SP criou mais oportunidades do que sua equipe. “Podemos ser melhores, principalmente com a bola. O Botafogo criou chances no primeiro tempo em cima de erros nossos, na saída de bola, tentando forçar por dentro, que é algo que não trabalhamos. ” Em entrevista a ESPN, ele ainda rechaçou a ideia de que sua equipe jogou com a intenção de decidir a classificação no Itaquerão, em São Paulo. Ele também comentou a respeito da reclamação dos jogadores sobre a qualidade do gramado. “Eles (os jogadores) já voltaram para o 2º tempo reclamando da situação do campo. É um campo que, para quem está acostumado com a Arena, que a bola vem certinha, vem rolando, eles reclamaram muito desta questão da bola ficar um pouco viva dentro de campo.”

As equipes voltam a se enfrentar no próximo domingo (9), às 16h, na Arena Corinthians.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *