Premier League pode ter jogos restantes com sede fixa

Quando a temporada 2019-2020 da Premier League começou em agosto do ano passado, existia uma grande expectativa para a disputa do título entre Liverpool, campeão da UEFA Champions League e o Manchester City, que ficou com o título do Campeonato Inglês apenas com um ponto de vantagem contra o Reds. Porém, dentro de campo o que se viu foi um verdadeiro passeio do time do técnico Jürgen Klopp, que fez excelente campanha e poderia até mesmo conquistar o título ainda em março, algo inédito na história da competição.

Embora algumas equipes tenham partidas a menos, a Premier League foi interrompida por conta da pandemia do novo Coronavírus após a realização da 29ª rodada, e com 25 pontos de vantagem o Liverpool já poderia ser considerado virtualmente o grande campeão desta temporada. Afinal, para não depender de qualquer resultado de outros adversários os Reds precisavam apenas de 6 pontos, tendo um clássico contra o Everton em Goodison Park e uma partida contra o Crystal Palace em casa para tentar garantir o troféu.

Entre todas as grandes ligas europeias a Premier League era a com maior vantagem entre o líder e o segundo colocado, tanto que sites de apostas esportivas, como o betboo, já sequer ofereciam cotações para tentar prever o campeão.

Faltando 92 partidas para completar a temporada a dúvida é como será este final, já que o calendário vai ficando cada vez mais apertado e a pandemia parece ainda longe de ter o seu pico no Reino Unido, agravado pelo fato de que ainda estamos longe de ter uma vacina ou tratamento para o vírus da Covid-19.

Uma possibilidade que já começa a ser ventilada na mídia europeia é a realização destas partidas em um intervalo de 60 dias em duas sedes fixas: Midlands e Londres. Para isso as equipes ficariam confinadas em hotéis para não ter contato com pessoas contaminadas e as partidas aconteceriam sem a presença do público.

Esta hipótese poderia ser uma chance real do retorno do futebol em um curto período de tempo, já que equipes como o Real Madrid na Espanha mostram pessimismo para um retorno ao “normal” antes de vacinas ou tratamentos, já que qualquer jogador que se infecte seria novamente o causador de outra pausa nas ligas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *