Narrador fala sobre decadência de futebol feminino

No programa “Bem amigos”, Milton Leite fala da falta de estrutura e de um campeonato de alto nível para as mulheres futebolistas do Brasil. Paulo Cesar Vasconcellos vê com temor o futuro da modalidade que carece de incentivos e competição forte igual ou semelhante à dos homens.

Este ano as meninas do Brasil tiveram mais uma oportunidade de faturar o inédito ouro, mas acabaram caindo na semifinal e também perderam na disputa de bronze. Mesmo com a implementação de uma seleção permanente visando uma preparação melhor para os Jogos, o resultado não foi alcançado. Para o narrador a modalidade só vai poder alçar voos maiores quando tiver um investimento de verdade e puder gerar dinheiro.

“Enquanto alguém não descobrir alguma forma de fazer o futebol feminino dar dinheiro, não vai sair disso. O Canadá hoje tem seis divisões de futebol feminino. Aqui não temos nenhuma. Temos jogadoras por geração espontâneas e vão jogar lá fora. Enquanto não tiver estrutura de competição, não vai acontecer nada. Só vai ter estrutura quando alguém descobrir um jeito de ganhar dinheiro com isso. Enquanto ninguém ganhar dinheiro com isso, não vai sair disso”

Junto com ele o comentarista Paulo César Vasconcellos comentou que a modalidade já teve jogos transmitidos pelo SporTV, mas o público ficou só aí, os estádios ficaram quase vazios, não importando a fase da competição. O jornalista olha com receio o futuro do futebol feminino.

“Essa seleção permanente deu força ao futebol feminino, mas ele não consegue despertar o interesse do mercado interno. O SporTV cansou de transmitir futebol feminino, com pouca gente no estádio. O sujeito defende, mas não vai lá. Tivemos uma geração brilhante, com Marta, Formiga. Mas temo pela renovação. Como o basquete feminino, o mercado interno está enfraquecido. Vejo com preocupação com futuro do futebol feminino.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *