Investidas chinesas em grandes clubes podem aumentar

Atlético de Madri, Manchester City, Inter de Milão, Corinthians e tantos outros clubes, os investidores chineses andam sondando clubes e abordando jogadores de qualidade em busca de melhorar a visibilidade do futebol oriental.

Jogadores, treinadores, contratos de patrocínio e até clubes, ninguém se salva dos investidores chineses e suas ofertas que costumam sueprar e muito a atual realidade dos contratados.

Na segunda-feira (06), o grupo de distribuição de produtos eletrônicos e de eletrodomésticos Suning anunciou ter adquirido 68,55% das ações do clube italiano Inter de Milão segundo noticia da afp.com.

Um consórcio de fundos de investimentos chinês possui 13% do Manchester City, o Aston Villa aceitou uma oferta de compra do magnata Tony Xia e alguns investidores chineses anunciaram em maio terem assumido o controle da agência de direitos esportivos MP & Silva.

Em janeiro deste ano, a Chinese Super League se tornou o campeonato que mais gasta no mundo, comprando passes de jogadores por um montante total de 331 milhões de euros, que supera os 9 dígitos em valores reais somando mais de 1 bilhão.

As empresas chinesas desejam ganhar visibilidade no exterior e com toda esta comoção elas estão atingindo o objetivo muito bem.

A Suning aceitou pagar 270 milhões de euros por quase 70% do capital da Inter, um valor alto, mas que não é exorbitante para eles. A quantia paga pela equipe italiana “é algo superior à esperada, mas não tão diferente dos montantes investidos pelos grupos do Oriente Médio para comprar clubes europeus”, Disse David Hornby, diretor do ramo esportivo da Mailman.

Essa chegada de dinheiro chinês acontece em um momento em que o gigante asiático tenta desempenhar um papel na economia mundial à altura de seu posto de segunda potência econômica.

A seleção chinesa ocupa apenas a 81ª posição na classificação da Fifa, mas o presidente Xi Jinping disse que espera ver seu país ser sede e vencedor de uma Copa do Mundo.

Além de se dar ao luxo de comprar estrelas, as marcas chinesas esperam que seus investimentos no futebol europeu facilitem uma expansão para o exterior.

Todos esses investimentos no futebol estrangeiro não têm por que repercutir positivamente no futebol chinês quanto a formação dos jovens que são o elemento crucial para chegar a vitória de uma competição mundial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *