Diretor do São Paulo comenta interesse em Cavani

Nenhum clube no futebol brasileiro tem tanto em comum com jogadores estrangeiros quanto a relação entre São Paulo Futebol Clube e os uruguaios. Em seus 90 anos de história o Tricolor Paulista já teve em seu elenco 17 jogadores nascidos no país vizinho, estando alguns desses nomes na lista da galeria dos maiores ídolos da história do clube. E foi justamente isso que movimentou o noticiário do clube nos últimos dias, quando foi divulgado o interesse na contratação do astro Edinson Cavani, atualmente no Paris Saint-Germain.

Fundado em 1930, o São Paulo contou nos seus primeiros anos com o uruguaio Armiñama em seu elenco, sendo inclusive campeão do Campeonato Paulista em 1931. E com o passar dos anos essa lista de astros ganhou nomes de peso. Um deles foi o lateral direito Pablo Forlán, que defendeu o time entre 1970 e 1975, além de uma passagem como treinador no início dos anos 90.

Pedro Rocha entre 1970 e 1978 e Darío Pereyra entra 1977 e 1988 também foram uruguaios que fizeram história com a camisa do São Paulo, assim como o zagueiro Diego Lugano que teve duas passagens como jogador do Tricolor, chegando como “jogador do presidente” em 2003 e rapidamente se tornando um dos pilares da equipe que conquistou o tricampeonato da Libertadores e Mundial dois anos depois.

Hoje dirigente do Tricolor, Lugano foi o responsável por trazer o nome de Cavani aos noticiários após dar uma entrevista para uma rádio argentina e dizer que o atacante antes de ir para o Boca Juniors jogaria no São Paulo com ele. A notícia ganhou ainda mais relevância quando o treinador Fernando Diniz disse que essa não era uma contratação impossível, mas o diretor financeiro do São Paulo Elias Albarello acabou jogando um balde de água fria na torcida:

– “Não podemos fazer neste momento. Não há disponibilidade de recursos, evidentemente, pelo que estamos enfrentando. Não podemos imaginar uma irresponsabilidade de fazer uma contratação desse nível para um pagamento futuro. Não podemos mais trabalhar dessa forma. Até porque temos um orçamento aprovado pelo Conselho de Administração e Conselho Deliberativo, e esse orçamento precisa ser respeitado e cumprido. Respondendo objetivamente: entendo que isso não faz parte dos nossos planos pelo menos nos próximos meses”.

A declaração foi dada durante entrevista para a Rádio Transamérica, e o dirigente na mesma entrevista deu uma previsão de perdas para o time na casa dos R$ 100 milhões neste ano por conta da pandemia do novo Coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *