Caso de Neymar x Santos tem nova fase

O Santos deve apresentar dentro de uma semana todas as propostas recebidas no ano de 2013 para venda e transferência de Neymar Jr. a algum outro clube estrangeiro. Desta vez quem entrou na Justiça foi o fundo de investimentos DIS, o qual detinha 40% dos direitos econômicos do atacante.

Até então o Santos já segue acusando o jogador do Barcelona por esconder os reais valores da transferência do clube santista para o Barcelona, agora os integrantes do DIS também entraram no jogo e querem os 40% a que tinham direito.

O DIS quer ter acesso aos valores propostos ao Santos para confirmar que o valor da transferência é mesmo aquele que os clubes anunciaram publicamente e para confirmar que a proposta do Barcelona tornou-se a vitoriosa foi mesmo a mais vantajosa financeiramente entre todas as ofertas existentes. Do lado Santos o clube acredita que Neymar recebeu dinheiro por fora para aceitar a proposta do Barcelona, visto que outros clubes tinham ofertas maiores. Em todo caso o fundo de investimento poderá tentar ampliar o valor que pleiteia na Justiça espanhola pela transferência do jogador.

Nos tribunais espanhóis, o DIS afirma que o Santos está lhe devendo cerca de 35 milhões de euros pela negociação de Neymar. Em seu pedido na Justiça brasileira, o fundo quer que o Santos apresente as propostas que recebeu em 2013 dos clubes Real Madrid e Barcelona, a fim de compara-las.

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo determinaram que toda e qualquer oferta recebida pelo Santos pela transferência do jogador, seja do clube que for, seja apresentada.

“Determino ao requerido que apresente as cópias de todas as propostas recebidas para a contratação do jogador Neymar Jr., no prazo de 7 dias, ficando autorizada a extração de cópias pela requerente, no prazo de 10 dias.”

Os desembargadores lembraram ainda do processo com indícios de ilegalidades e até crimes tributários eventualmente cometidos na negociação.

O Santos ainda tem direito de contestar a decisão judicial por meio de recurso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *