Brasileiro Sylvinho é demitido do Lyon

Durou pouco tempo a aventura brasileira no comando do Lyon da França. Contratado em maio deste ano junto com o novo diretor esportivo Juninho Pernambucano para treinar a equipe francesa, o técnico Sylvinho foi demitido da equipe após apenas 11 partidas e um péssimo início de temporada para o clube.

Sylvinho treinou o Lyon neste início de temporada após passar os últimos anos como o auxiliar técnico de Tite na Seleção Brasileira. E nestas 11 partidas acumulou apenas 3 vitórias, com mais quatro empates e quatro derrotas. A fase da equipe é péssima, já que duas destas três vitórias foram conquistadas ainda nas duas primeiras rodadas.

Este é o pior início de Ligue 1 do Lyon nos últimos 24 anos. Na temporada 1995-96 a equipe também conquistou 9 pontos em 9 rodadas, e naquela ocasião terminou a temporada em 11º lugar. Vale lembrar que no Campeonato Francês apenas os 3 primeiros colocados se classificam para a próxima temporada da UEFA Champions League, e hoje o Lyon está sete pontos atrás do terceiro colocado, o Angers.

O Lyon informou em comunicado enviado para a imprensa que enquanto não contratar um novo treinador quem irá treinar a equipe de maneira interina é Gérald Baticle.

Sylvinho era o único brasileiro treinando uma equipe nas cinco grandes ligas no futebol europeu na atualidade: Premier League, Campeonato Espanhol, Campeonato Italiano, Bundesliga e Ligue 1.

Nascido em São Paulo em 1974, Sylvinho atualmente tem 45 anos e enquanto era jogador atuava como lateral esquerdo, tendo sido revelado pelo Corinthians e com passagens por Arsenal, Celta de Vigo, Barcelona e Manchester City, além de ter atuado pela Seleção Brasileira entre os anos de 1997 e 2001.

Tem licença A para treinador em equipes da UEFA e antes de assumir o Lyon para o seu primeiro trabalho como treinador principal de uma equipe teve passagens por Cruzeiro, Sport, Náutico, Corinthians e Inter de Milão, sempre como treinador assistente.

Chegou também à Seleção Brasileira como auxiliar de Tite junto com o treinador em 2016, reeditando a dupla com Tite que já tinha começado em 2013 desde que deixou a sua parceria com Vagner Mancini para voltar ao clube que o revelou para o futebol mundial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *