Brasil é candidato para sediar o novo Mundial de Clubes da FIFA em 2021

O Brasil foi a sede dos maiores eventos do esporte mundial nos últimos anos. O país foi a sede da Copa do Mundo de 2014, dos Jogos Olímpicos de 2016 e também será a sede da Copa América de futebol em 2019. E agora quer usar toda esta estrutura para sediar a nova versão do Mundial de Clubes da FIFA, que será realizada a cada 4 anos e deverá muito provavelmente ser a substituta da Copa das Confederações que atualmente é uma competição deficitária para a FIFA.

A atual versão do Mundial de Clubes da FIFA reúne atualmente sete equipes para um torneio rápido no final do ano em sede transitória. A primeira edição foi realizada de maneira embrionária no Brasil no ano 2000 e teve o Corinthians como grande campeão, e na sequência voltou a ser disputado apenas em 2005 com o São Paulo conseguindo o título no Japão. Desde então a competição é disputada de maneira ininterrupta anualmente e já teve como sedes além do Japão Marrocos e Emirados Árabes Unidos.

Nesta versão atual apenas os campeões de cada uma das competições continentais como a UEFA Champions League, a Copa Libertadores da América, Liga dos Campeões da Concacaf, Liga dos Campeões da África e Liga dos Campeões da Ásia, além do representante do país sede garantem vaga no torneio. Neste ano e em 2020 este Mundial deve ter como sede o Qatar que se prepara para receber a Copa do Mundo em 2022.

Pelo projeto da FIFA a nova versão do Mundial de Clubes seria realizada apenas de quatro em quatro anos e reuniria 12 equipes da UEFA e mais equipes da Conmebol, CAF, AFC, Concacaf e OFC ainda sem método de classificação definido.

O Brasil quer ser a sede deste novo torneio para utilizar a estrutura montada para a Copa do Mundo de 2014 e os estádios considerados “Elefantes Brancos”, já que a certeza do país é de que com gigantes europeus em campo seria fácil lotar estádios em qualquer lugar do país.

O grande adversário do Brasil nesta disputa deverá ser a China, e não deveremos ter nenhuma novidade no assunto antes da eleição para presidente da FIFA, marcada para o próximo mês de julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *